Conheça Patrícia, a produtora do mês

Qual o seu propósito?

Paulistana acostumada com a vida na selva de pedra, a produtora Patrícia Mendonça encontra refúgio no Sítio 3 Barras da Mantiqueira, em São Sebastião da Grama (SP).

Depois de muitos anos no mercado financeiro, em 2017, a cafeicultora e o marido, Luiz Guilherme, decidiram que era a hora de diversificar e pensar no legado que vão deixar aos três filhos.

O casal não teve contato com a produção de grãos até começarem a produzir os próprios. Foram necessários muito estudo e dedicação para embarcar na viagem do café especial.

Nos dois primeiros anos, venderam seus cafés apenas para consumidores locais. Mas, segundo ela, os grãos possuem o poder de fazer as pessoas se conectarem e foi assim que ela conheceu o Gabriel, fundador aqui da Veroo.

Subir uma estradinha de terra, ver de longe um flamboyant, as casas com trepadeiras e flores, é agora a rotina de Patrícia e sua família. Ela relata que, nesse momento, sente uma leveza,uma paz de ver o mundo de cima, rodeada por morros com plantações de café.

Hoje, se deleita na liberdade de sair de uma vida frenética na cidade, para a tranquilidade de observar os cavalos pastando, mansos, como o vento que bate.

Essa paz foi batalhada, já que nunca é fácil comprar uma propriedade já produtora e tentar fazer as modificações que acha necessárias.

A produtora conta que teve que se esforçar paraganhar a confiança das pessoas que trabalhavam no local e dos moradores vizinhos. Oprimeiro ano foi um desafio nessa questão.

“Imagina só, o antigo produtor estava lá há muitos anos, aí chega uma mulher de São Paulo querendo mexer em tudo, reorganizar, fazer diferente, foi uma luta para que confiassem em mim e no que eu estava propondo”, lembra ela com humor.

Patrícia e o marido construíram suas carreiras do zero, juntos. Estudaram e trabalharam em banco durante a maior parte da vida – Luiz Guilherme ainda trabalha nessa área.

Não herdaram suas terras, não tiveram instrução de cultivo de seus familiares, nem de alguém próximo que pudesse auxiliar. Mesmo assim, colocaram suas forças no café, acreditaram na força dos grãos e agora vêem o resultado.

Esse é o legado que estão construindo para seus filhos e próximas gerações da família – e eles não poderiam estar mais felizes.

Sobre o café

Com altitude de 1.250 metros, a região de São Sebastião da Grama é propícia para o cultivode café. O obatã da Patrícia foi avaliado em 85 pontos, segundo a escala da SCAA (SpecialtyCoffee Association of America).

Nesse café encorpado, você vai notar um aroma doceintenso, acidez cítrica brilhante e finalização longa, lembrando açúcar mascavo e mel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *